Mulher escapou da guerra carregando seu cachorro idoso nas costas por 15 km

Ter um cão ou uma cadela é ter direito a amor infinito! É chegar em casa e receber lambidas e festinha. É ter uma companhia constante e uma motivação para passeios na rua. Um cachorro traz vida para a casa de uma família!

Meu cachorro é a melhor companhia que eu poderia querer! Mesmo sem falar, ele me entende melhor que qualquer pessoa. Um cão é um amor para a vida. Eles podem não durar vivos eternamente, mas o amor e a presença deles resistem para sempre.

Esta mulher teve de deixar a sua terra natal em busca de segurança para a família: crianças e cachorros. Todos tiveram de caminhar por diversos quilômetros e um dos peludos, já idoso, precisou ser carregado nas costas.

Guerras são sempre indefensáveis, mesmo quando eventualmente os motivos que as geram são válidos.

Os conflitos também produzem histórias de tristeza e dor, como a fuga desta família, que cruzou a fronteira da Ucrânia com a Polônia carregando os poucos objetos que conseguiram transportar.

A fuga de Alisa

Esta mulher de 35 anos empreendeu uma jornada difícil. Ela, com as crianças e cachorros da família, andaram por 15 km, sempre por caminhos alternativos, até atingir a segurança no país vizinho.

Em diversos trechos da caminhada, Alisa carregou um cachorro idoso, que não aguentou tanto esforço físico.

A vida não tem sido fácil para Alisa. Ela teve de deixar o país em um carro de passeio, que transportava a mãe, a irmã, quatro crianças, dois cachorros grandes, o marido e o cunhado – os homens acabaram sendo barrados na saída.

Alisa, a mãe e a irmã, com as crianças e os cachorros, tiveram de continuar a pé. A região fronteiriça é montanhosa e cortada por diversos riachos – o que poderia ser uma bela paisagem aumentava ainda mais a sensação de frio.

O pastor alemão da família (é uma fêmea, aliás) já completou 12 anos de idade. A cachorra lutava para seguir em frente, mas caía e ficava prostrada a cada poucos metros. Alisa tentou parar alguns carros e pedir carona, mas todos os motoristas recusaram.

Alguns fugitivos chegaram a sugerir que a família abandonasse a cachorra, que estava atrasando a marcha. Mas Alisa sabe que os dois cães são membros da família: os peludos os acompanharam em momentos felizes e tristes – eles não mereciam ser deixados para trás.

A cachorra, na verdade, pertence à mãe de Alisa. Mas como os casais viviam na mesma casa, todos estavam acostumados à presença dela.

Quando finalmente a peluda deu sinais de que não conseguiria sentir em frente, a ucraniana não pensou duas vezes: pegou-a no colo e carregou-a no restante da travessia.

Finalmente, Alisa percebeu que estava a salvo, fora do alcance do conflito. Graças à determinação desta mulher, a cachorra também conseguiu escapar, assim como todos os membros da família.

Isso que é mulher mostrando a que veio no mundo!! Pra seres humanos assim que deveríamos tirar o chapéu e estender o tapete. É muito triste ,mas que bom essa mulher não deixou para traz seu melhor companheiro.

Isso é amor. Ela além de ser uma pessoa, ela é humana. Que Deus possa proteger ela, e a família e os cachorros também. Uma bela atitude!!! Que Deus cuide e abençoe eles!!

SE VOCÊ GOSTOU, DEIXE O SEU LIKE, COMENTA AQUI EM BAIXO O QUE VOCÊ ACHOU! E COMPARTILHE COM OS SEUS AMIGOS! OBRIGADA! 

Comentário do usuário