Adote um bom velhinho: campanha da Cosap incentiva adoção de animais mais velhos,"fica aqui por 11 anos, esperando uma família"

Para considerar um cachorro idoso, você deve levar em conta a sua raça e porte, já que a expectativa de vida entre as raças varia. Em geral, cachorros de grande porte chegam à senioridade mais cedo que os cães pequenos, por exemplo.

Seu companheiro já está com você há muitos anos e você está na dúvida se tem um cachorro idoso em casa? 

No momento de visitar o Centro Municipal de Adoção de Cães e Gatos da Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico (Cosap) para escolher um animal e levá-lo para casa, nem sempre os pets mais velhinhos, com mais de oito anos, são os escolhidos.

"Às vezes, tem animal que fica aqui por 11 anos, esperando uma família. São animais muito carentes, que esperam muito tempo para ter uma família", conta Analy Xavier, coordenadora da Cosap.

Pensando nisso, a campanha “Adote um bom velhinho” foi criada para incentivar a adoção de animais mais velhos.

Uma grande vantagem de levar um pet adulto para casa, por exemplo, é que o animal já cresceu, então é possível ter certeza sobre o tamanho que ele vai ficar e qual o seu temperamento. Além disso, eles também fazem menos bagunça e são mais resistentes às doenças.

Outro benefício de adotar um pet com mais de oito anos é que a pessoa recebe o cartão Cuida Bem Idoso, que oferece atendimento prioritário e vitalício em qualquer um dos hospitais veterinários públicos da cidade de São Paulo.

O tutor, contudo, precisa residir no município e ter realizado a adoção na Cosap.

“O animal quando é idoso pode possuir algum problema de saúde, assim como os seres humanos, e com esse benefício ele pode usar os três Hospitais Veterinários Públicos da capital sem precisar pegar fila”, destaca Analy.

Como fazer uma adoção na Cosap

O cidadão interessado em fazer uma adoção pode buscar o serviço "Adotar cães e gatos" no menu do Portal 156.

Em seguida, ele terá acesso a uma galeria de fotos dos animais que estão disponíveis para serem adotados, como é o caso do Costelinha, um senhor forte, disposto e dócil, que espera por uma nova família.

Após escolher o animal desejado, o candidato deve preencher um formulário. Se não houver nenhuma incompatibilidade, o futuro tutor tem sua visita ao centro agendada, para que ele possa conhecer o pet e levá-lo para casa.

Nesta visita, a pessoa deverá levar uma coleira se for adotar um cão ou uma caixa de transporte, caso vá adotar um gato.

Também é preciso apresentar o RG, CPF, um comprovante de residência recente (dos últimos três meses) e pagar uma taxa pública de R$ 26,50.

Todos os pets esperando por um lar estão devidamente vacinados, vermifugados, castrados, identificados por microchip e possuem RGA (Registro Geral do Animal), conforme Lei Municipal nº 13.131/01.

Os 7 sinais de um cachorro idoso

1. Pelos grisalhos

Em alguns cães, os pelos sofrem uma alteração de coloração, assim como em nós, humanos.

Os pelos ficam grisalhos e com uma textura mais fina, quebradiça e sem brilho. A pele também fica mais fina e o cachorro idoso pode se machucar mais facilmente.

2. Patas espessas

Outro sinal é a alteração nos coxins das patas, as almofadinhas. Elas ficam mais espessas e ásperas, o que é totalmente natural e não é prejudicial à saúde do cão.

3. Perda dentária

Outro fator comum ao envelhecimento é a perda de dentes e doenças nas gengivas. Com o acúmulo de sujeira ao longo dos anos, a arcada dentária perde o cálcio e fica mais frágil.

Alguns cães precisam, inclusive, de substituir a ração seca pela úmida para facilitar a deglutição.

Observe se há um intenso mau hálito ou sangramento nas gengivas, que são alguns dos principais sinais de que a saúde bucal do seu cachorro não vai bem.

É importante dizer que tratar doenças como tártaro e gengivite é fundamental, pois elas podem causar dor ao animal e até levar à queda dos dentes.

4. Dificuldade de mobilidade

A locomoção dos cachorros fica prejudicada, já que há um enfraquecimento dos ossos e das articulações.

A massa muscular também costuma se perder e, como o cão passa a fazer menos exercícios, ele pode entrar em um círculo vicioso.

5. Letargia

Cães idosos dormem muito mais do que os jovens e você perceberá seu cachorro mais apático, deitado grande parte do dia. Isso não significa que ele está triste, apenas mais cansado com a chegada da idade.

6. Dificuldade de enxergar

Problemas de visão como a catarata, glaucoma e a esclerose nuclear (doenças que dão um aspecto azulado ou uma mancha branca no olho) são muito comuns na velhice.

Alguns cães podem até chegar a perder a visão. Por isso, é importante procurar um médico veterinário especialista (oftalmologista) assim que você perceber que ele está com dificuldade de enxergar.

7. Perda auditiva

Chamou e seu cão não ouviu? A dificuldade de ouvir também é normal com o avanço da idade, já que pode acontecer uma perda auditiva.

SE VOCÊ GOSTOU, DEIXE O SEU LIKE, COMENTA AQUI EM BAIXO O QUE VOCÊ ACHOU! E COMPARTILHE COM OS SEUS AMIGOS! OBRIGADA! 

Comentário do usuário