Família adota cachorra enregelada que invadia sua casa com três pernas para se proteger do frio

O inverno está chegando. Será longo e a escuridão virá com ele... Quando o inverno chegar, que os deuses nos ajudem se não estivermos prontos! Graças a Deus existe pessoa especial para cuidar desse cachorro!

“Em meus sonhos mais profundos nenhum animal viverá na solidão do abandono das ruas, ou mesmo no abandono de um lar sem amor, acorrentado, passando fome e frio.”

Quando Emily Jokinen acordou o marido em plena madrugada, ele não conseguiu entender direito o que estava acontecendo. Uma cachorra havia entrado na varanda da casa, para se proteger do frio, e acabou se encontrando com a proprietária.

A história aconteceu no inverno e fazia muito frio – na região, a temperatura dificilmente ultrapassa os 7°C durante o dia e, nas madrugadas, quase sempre fica abaixo de zero.

Emily acordou no meio da noite para procurar a chupeta da filha de um mês. Alguns ruídos provenientes da entrada da casa chamaram a sua atenção e ela decidiu checar.

Ao acessar as imagens da câmera de segurança da residência, a mulher viu a cachorra.

Eram pouco mais de 3h. Emily percebeu a presença da “invasora”, que estava sentada no chão da entrada, tentando se proteger contra o frio da madrugada. A mulher ficou emocionada com a cena.

A dona da casa subiu novamente as escadas, entrou no quarto e acordou o marido Jack com uma informação que ele não conseguiu processar imediatamente: “O bebê está bem, mas há um cachorrinho em nossa casa”.

Jack abriu a porta e colocou a cachorra para dentro – ela estava enregelada e adorou o “convite”.

No dia seguinte, ao levar Suzy ao veterinário, Emily e Jack descobriram que a cachorra já era adulta – uma senhora de idade, com sete a nove anos de vida.

Além do pequeno porte, o médico constatou que ela estava desnutrida e muito abaixo do peso ideal – ela deveria ter entre 35 kg e 40 kg, mas pesava apenas 19 kg –, fato que contribuiu para o tamanho diminuto.

No exame de rotina, não se constatou nenhum problema de saúde mais grave, além dos muitos parasitas – pulgas e carrapatos.

A cachorra estava mancando, mas era um ferimento superficial nas almofadas plantares, provavelmente provocado pelo frio e pelo tempo excessivo de perambulação nas ruas.

Ao pegar a cachorra no colo na noite anterior, Jack já tinha percebido que ela estava muito magra – as costelas saltavam nas costas e era possível identificar as vértebras da coluna dorsal. 

Resultado: o casal voltou para casa com o novo membro da família.

Ao verificar mais uma vez as imagens da câmera de segurança, Jack percebeu que, na noite anterior, quando saiu para passear com o cachorro, ele sem querer deixou o portão entreaberto, o que facilitou a invasão de Suzy.

Uma piada antiga diz: “Por que o cachorro entra na igreja? Porque a porta está aberta”. Foi por isso que Suzy entrou. Ela encontrou um local aquecido e decidiu passar a noite ali.

Se todos tivessem essa atitude, não havia animais nas ruas, passando, fome e frio, eu tenho nove cachorros eles não passam frio nem fome e dez gatos, infelizmente nem todos tem os mesmos sentimentos.

Ainda bem que existem pessoas de bom coração! Que judiação que bom que encontrou um lar. Que atitude linda!!! Eu faria o mesmo!!! Por mais humanos assim!!! 

SE VOCÊ GOSTOU, DEIXE O SEU LIKE, COMENTA AQUI EM BAIXO O QUE VOCÊ ACHOU! E COMPARTILHE COM OS SEUS AMIGOS! OBRIGADA! 

Comentário do usuário