Cãozinho passou cinco anos acorrent4do que era agredido quando ficava ‘muito feliz’ é resgatado

Sou feliz e honrado de ter um amigo sincero. Ele é feito de prontidão, confiança, respeito e coragem. Não conhece ódio, inveja ou mentira. Sempre feliz, sempre a favor. Só traz alegrias e esperanças na vida. Ele é um cão!

Se fosse possível escrever a história de todos os cães que amaram e foram amados pela raça humana, cada história de um cão se pareceria com todas as outras histórias. Seria uma história de amor!

O pet passou cinco anos ac0rrent4do, quase sem comida e água, sem um nome, e a única palavra que entendia era “não”.

Quando se adota um animal de estimação, é dever da nova família prover alimento e bem-estar do bichinho, mas essa não foi a situação agradável que Marley viveu por cinco anos.

O cãozinho, por muito tempo, não soube o significado de amor e carinho, e a única palavra que conhecia era “não”, o que seu então tutor gritava constantemente.

Além disso, durante os longos dias, meses, e anos, Marley não tinha nem um nome, o pote com água estava sempre muito sujo e comida – quanto tinha – era composta de cereais infantis em uma panela velha.

Marley ainda ficava ac0rrent4do em uma casinha minúscula e toda quebrada, e apanhava sempre que ficava “animado demais”.

Todos os anos, equipes da PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais, em português) iam até o local visitar Marley e garantir que ele estava sendo alimentado corretamente e bem tratado, mas o tutor se recusava a entregá-lo à instituição.

Depois dos cinco anos, o homem finalmente abriu mão do cachorro e o entregou ao PETA.

Ser feliz não é errado

Quando chegou ao PETA, Marley estava infestado de parasitas, e faminto de alimento e de afeto. A equipe do abrigo o medicou e deu toda a atenção que lhe faltava.

Um dos voluntários, Michael Moss, não resistiu ao espírito animado de Marley. Assim, rapidamente o pet ganhou um novo lar. “Eu gostei muito mesmo de sua atitude e seu espírito, que se recusava a quebrar”, contou Moss.

Hoje, Marley tem um nome, um local aconchegante e quentinho para dormir, uma “irmãzona” chamada Kiah para brincar em seu grande quintal sem correntes e todos os mimos e brinquedos que quiser.

“É tudo o que eu queria. Só quero que ele seja feliz”, ressalta Michael.

A maioria das pessoas tem a sorte de ter a companhia de um cão durante a vida. Alguns já convivem com animais de estimação desde crianças e aprendem a amar esses seres iluminados com o coração e respeito que eles merecem.

Se amor gratuito não existe, amor canino existe sim. Queria achar um humano que me olhasse com os olhos de paixão que o meu cão me olha. Depois de adotar um cão, descobri que o amor é algo realmente simples, puro e honesto.

SE VOCÊ GOSTOU, DEIXE O SEU LIKE, COMENTA AQUI EM BAIXO O QUE VOCÊ ACHOU! E COMPARTILHE COM OS SEUS AMIGOS! OBRIGADA! 

Comentário do usuário